sexta-feira, 30 de abril de 2010

Os Políticos e o Dia do Trabalho



O que vou dizer vai provocar a ira de muitos brasileiros, e principalmente de um, David Coimbra, colunista do Jornal Zero Hora de Porto Alegre, que há muito tempo tem criticado os políticos e a política: os políticos merecem comemorar o Dia do Trabalho. Mais, as instituições políticas brasileiras deveriam comemorar o Dia do Trabalho. Pronto. Disse. Vamos a um exemplo. Em Porto Alegre, no dia 28 de abril, a jornalista Carla Kunze da Assessoria de Imprensa da Câmara Municipal postou no site do Legislativo (
www.camarapoa.rs.gov.br) uma noticia às 4h26 da manhã. A matéria era referente a terceira edição do projeto Câmara Itinerante, realizado na Vila Restinga, região sul da capital, e que encerrou por volta das 11 da noite do dia anterior. Kunze terminou a matéria em casa e pode-se dizer, que aquela altura da madrugada, ela ainda estava trabalhando para benefício da população com aquilo que sabe fazer, bom jornalismo. Da mesma forma os vereadores estavam trabalhando para a sociedade após um dia de atendimento em gabinete na parte da manhã, presença na sessão legislativa na parte da tarde, completando um terceiro turno de trabalho a noite. O que faz com que o trabalho de vereadores e funcionários, além de suas obrigações, sejam esquecidos nas comemorações do Dia do Trabalho?

Primeiro, o preconceito quanto ao trabalho político. A verdade é que o Dia do Trabalho consagrou-se mais como data de luta de várias categorias sociais e menos como a data de homenagem a uma atividade ou profissão. Segundo, homenageamos os trabalhadores e esquecemos das atividades laborais propriamente ditas e as instituições. Mas se é dia DO trabalho, e se há bons políticos QUE trabalham muito no legislativo, porque a data não pode ser comemorada por eles pelo trabalho que realizam em beneficio da sociedade? Pois é disso que se trata, de valorizar neste dia, também o verdadeiro trabalho político. A boa política. A idéia do político profissional é assustadora, a idéia que da perpetuidade do trabalho político por um agente não se coaduna com a idéia democrática de alternância do poder. Por outro lado, a necessidade de profissionalizar os políticos significa que devemos exigir deles o aprofundamento dos temas de políticas públicas que caracterizam seu trabalho parlamentar. É neste, e somente neste único sentido que é positiva a idéia de políticos profissionais, no sentido de especialistas nos campos que buscam defender. Os políticos comemoram o Dia do Trabalho porque são professores, economistas, mas tem vergonha de comemorar por seu trabalho. Se a data é para reflexão, deve servir para incentivar aos políticos a importância do trabalho legislativo.

A prova de que o trabalho dos políticos tem aumentado está no recente estudo da Equipe de Qualidade da Câmara Municipal de Porto Alegre. Intitulado “Gestão CMPA 2009-2010” ele mostra que os vereadores de Porto Alegre trabalham muito pela cidade. No período o número de leis complementares aprovadas aumentou de 25 para 75; os decretos de 385 para 567; a realização de Tribunas Populares passou de 30 para 59; foram disponibilizadas para escolas de 75 para 81 exposições itinerantes; a Radio Câmara passou de 6481 para 11546 ouvintes. Por outro lado, os números também mostram o trabalho de economia do legislativo: os valores empenhados em relação aos orçados baixaram de 93,77 para 93,52%; a participação no custo publico, segundo a Lei de Responsabilidade Fiscal, baixou de 2,22 para 2,18%; os gastos com folha de pagamento diminuíram de 63,97 para 59,92% (o valor de referência é 70) entre outros indicadores.

A data merece ser comemorada por todos os trabalhadores. E por instituições públicas também, que tem no seu dia-a-dia de trabalho uma única preocupação: ajudar a construir uma sociedade mais democrática e com mais políticas públicas sociais para toda a população. E David, Feliz Dia do Trabalho!

Um comentário:

Carla Kunze disse...

querido Jorge,
obrigada pela referência, realmente baixei a matéria de casa. Faço dessas loucuras às vezes, talvez porque isso é a minha vida, o amor pelo jornalismo.
abraços
carla kunze